A desenvoltura de Renata Moura

Conhecida pelo estilo retrô e por crias peças de mobiliário, a designer já ganhou vários prêmios nacionais e internacionais.

A alegria das formas e das cores usadas nas criações da designer catarinense Renata Moura já lhe renderam vários prêmios de publicações desde a época de estudante. O frigobar Brastemp Retrô, por exemplo, desenvolvido quando ainda trabalhava na Whirpool, lançado em 2007, é um sucesso até hoje.

Nascida em Joinville, Renata está radicada em São Paulo, onde dirige o escritório de design Studio Renata Moura, com criações próprias e linhas especiais para parceiros de diversos segmentos. Trabalhar com a diversidade é o que lhe encanta. “Costumo dizer que quando começo uma pesquisa nova, uma porta se abre e ali tem um universo inteiro”. Um dos seus desejos é, ainda, poder desenhar comida – como chocolate – e armações de óculos.

Conhecida pelo estilo retrô e por desenhar mobiliário, ela se define com uma designer curiosa, que busca transmitir boas mensagens, emoções e sensações com seus projetos.

Antes de desenhar qualquer linha, pesquiso muito para entender a alma do projeto e escolher quais referências vou seguir ao criar. Se o projeto é de design de produto, procuro fazer o trabalho de design gráfico também e, se possível, a direção de arte das fotos. Penso que assim fica mais fácil contar a história e passar a mensagem do produto.

Sua primeira criação significativa foi a Mesa Triiim, que fez quando estava no segundo ano do curso  de Design de Produto da PUC, em Curitiba, e que lhe render o Prêmio Estudante Nacional no Salão de Design Movelsul, em 2002. “Isso foi um baita incentivo para eu perceber que estava no caminho certo”. Depois disso, ser finalista de premiações na área virou rotina na vida de Renata. Com o produto Rock’n Bowl, por exemplo, foi finalista no Salão de Design Casa Brasil, em 2016, e no Idea/Brasil, em 2014.

Já o banco Goma é uma de suas criações que conquistou muita mídia espontânea ao ser exposto em programas como Big Brother, Faustão, Caldeirão do Huck, entre outros. Além dessa criação, Renata destaca o banco Sela, que lhe traz boas memórias.

“Gosto da elegância e curiosidade que o Ampoule Risca de Giz desperta. Adoro o desafio que foi criar um balanço em dois meses, que originou o balanço Trama. Adoro a irreverência da poltrona Barraco. Tenho o maior orgulho do meu primeiro projeto para a L’Occitane au Brésil, a linha Caju, quando desenhamos o frasco, o sabonete em barra e também fizemos a criação da marca e de todo o design gráfico da linha”, cita a designer.

Ideias

As ideias surgem com os materiais que Renata gosta e coleciona, ou quando, muitas vezes, sai à procura de algo para criar um novo projeto, como foi o caso do Concentração. “Fui para o Centro de São Paulo, e entrei em vários tipos de lojas, até que me deparei com os bonecos de Pebolim – também conhecidos como Totó —, em uma loja que vende jogos e acessórios. Decidi que faria algo com eles, mais ainda não sabia o que seria. Comprei vários e fiquei fazendo testes até chegar ao resultado”, relata.

Renata conta que a ideia da criação do Rock’n Bowl surgiu com alguns tipos de cabos e cordas que tinha em suas amostras e a oportunidade de uma parceria com Leticia Matos, uma artista que trabalha com crochê e tricô. “Quando mostrei a ela os fios de guitarra que tinha, na hora pensamos em criar uma linha chamada Rock’n Bowl, com fruteiras, centros de mesa e revisteiros feitos em crochê”. Desse projeto, surgiu a ideia, também, do Rock’n Neck, que são colares feitos em crochê, com cabos de microfone e conectores de som nas duas extremidades. “Ele é funcional, pois pode ser usado tanto como acessório de moda, quanto para conectar o celular no aparelho de somo do carro”, explica.

Como tudo começou

O interesse pelo design e arquitetura começou aos três anos, quando Renata acompanhava os pais nas reuniões com o arquiteto que estava projetando a casa da família. Depois, aos sete anos, quando folheava uma revista de decoração e ficou encantada com uma cadeira chamada Panton, dos anos 1960. Mas, toda a influência veio da mãe, que, segundo Renata, comprava revistas de decoração, levava-a a exposições de arte e dava noções sobre o que é um móvel ou uma roupa com bom acabamento. Com isso, ela não teve dúvidas sobre sua vocação.

Formada em Desenho Industrial – Projeto de Produto, na PUC/PR, e especializada em Design Emocional pela mesma instituição, Renata tem os estágios como parte importante de sua formação. “Com a sede de aprender, fiz 10 estágios durante  a universidade, muitas vezes simultâneos, em áreas diversas para aumentar meu conhecimento”, conta.

Antes de fundar o Studio Renata Moura, atuou em muitas empresas e trabalhou em parceria com outros profissionais, adquirindo experiência e realizando diversas criações.

O Studio

O Studio Renata Moura, em São Paulo, nasceu com o objetivo de influencias as pessoas positivamente e gerar novas experiências. Trabalhando em diversas áreas do design, Renata se destaca em moveleira, campo em que atua com desenvoltura.

O estilo dos projetos assinados por Renata segue uma estética própria, geralmente com um toque lúdico e retrô, que convidam à interação e à nostalgia em cada criação, sempre contando histórias e aproximando pessoas. Designer por vocação, diz ver beleza em qualquer lugar e acredita que a inspiração pode estar em tudo o que fazemos.

Data da publicação: Abril de 2017

Edição nº 07 – Ano 05