O fabuloso destino de Renata Moura
Aos 29 anos, a designer catarinense vem conquistando prêmios nos principais eventos de design do mundo com suas criações bem humoradas e cheias de charme.

Por Ana Paula Franzoia. Fotos Cia. de Foto

Matéria – páginas 82 e 83
Editorial – pág. 04

 

páginas 84 e 85

NÃO É SÓ O CORTE DE CABELO CHANEL e o tipo mignon da designer Renata Moura que lembra uma das mais famosas personagens do cinema francês, Amélie Poulain. Assim como a personagem, interpretada pela atris Audrey Tautou, a imaginação e a criatividade de Renata ajudam a transformar o cotidiano em algo mais divertido. No caso de Renata, toda essa energia criativa é direcionada para o desenvolvimento de móveis e objetos, como bancos, pufes, refrigeradores e até escova de dentes.

O banco Goma, a mesa/banqueta Ampoule Risca de Giz, a série de pufes e almofadas Feigiones, o pufe UoooU e o minirrefrigerador Retrô da Brastemp – as peças mais premiadas e conhecidas da designer – evidenciam o humor e a afetividade que Renata coloca em suas criações. “Aproveito as minhas lembranças da infância, as boas recordações, e uso de inspiração”, conta. O curso de especialização em Design Emocional que Renata termina este ano também tem ajudado a trazer esses sentimentos para suas peças. “A próxima onda será conquistar o consumidor pela emoção. Por isso, estudar esse tipo de design tem me ajudado a elaborar projetos mais humanizados, que despertam sensações gostosas ligadas às lembranças das pessoas”, explica Renata.

As criações da catarinense têm impressionado os júris de inúmeros concursos de design pelo mundo. O primeiro a reconhecer o talento da moça foi o do Salão Design Movelsul, que deu, em 2002, o prêmio Estudante Nacional à mesinha TRIIIM, criada por Renata durante o segundo ano do curso de Design Industrial da PUC de Curitiba. Ser finalista em premiações da área acabou se tornando rotina na carreira da moça, que esteve entre os melhores em mais de uma dezena de premiações importantes, como o IDEA/Brasil e o IDEA/EUA, o Salão Design Casa Brasil, o prêmio de Design do Museu da Casa Brasileira, o IF Awards da Alemanha. Nada mal para quem acaba de completar 29 anos e vive fora do circuito Rio-São Paulo.

GAROTA PRECOCE
A precocidade é uma característica de Renata, que decidiu que iria desenhar móveis quando tinha apenas 11 anos. “Meus pais contrataram arquitetos para reformar nossa casa e eu me encantei com o trabalho deles, com as plantas, as maquetes”, lembra. A escolha profissional a fez deixar Joinville, onde sempre viveu, e se mudar para Curitiba. Depois de uma dezena de estágios em empresas do Paraná, foi selecionada para uma vaga na Multibrás (Whirlpool), fabricante dos eletrodomésticos Brastemp, e acabou voltando para Joinville. Foi no departamento de design da empresa que Renata desenvolveu um dos seus produtos mais comercializados: o minirrefrigerador Retrô. Mas, paralelamente, continuou a criar outras peças mais autorais e acabou por abrir seu próprio escritório em Curitiba.

página 86 Foto Brastemp Retrô: divulgação, Goma: Silvestre Laska – Namester, Feigiones: Silvestre Laska – Namester, Mesa TRIIIM: Silvestre Laska – Namester.

E de onde vem tanta inspiração? Em seu apartamento na cidade, ela guarda diversas coleções, que volta e meia a inspiram. “Coleciono objetos da marca de design Alessi, toy art, garrafinhas de Coca-Cola e antiguidades, incluindo brinquedos.” Assim como seus designers favoritos Raymond Loewy, Phillipe Starck e Karin Rashid, Renata não quer se tornar especialista apenas em peças de mobiliário. “Gosto de diversificar, de experimentar novos materiais, de trabalhar com públicos variados e aprender coisas novas.” O resultado dessa inquietação pode ser visto em produtos tão diversos quanto as novas embalagens dos preservativos Jontex (feitas em parceria com Newton Gama e Celso Silva) ou a escova de dentes para viagem da marca Sanifill, que será lançada no próximo mês.

Solteira, Renata aproveita o tempo livre para sair para dançar com os amigos. “Meu lugar favorito em Curitiba é o Wonka, que toca música alternativa e indie. Agora minha meta é explorar as baladas de São Paulo, para onde viajo esse mês. Já fiz até uma listinha!”, conta. Se aventurar em restaurantes diferentes também faz parte da rotina da moça. “Amo experimentar novos sabores”, conta. Entre os pratos exóticos que ela gosta estão Buchada de Bode – “adoro!”, diz ela – Hackepeter, um prato alemão feito com carne crua. “Ultimamente tenho comido pratos japoneses mais tradicionais, como Missô Lamen e Karê.” A mesma curiosidade ela tem com cinema e artes. “Gosto de animação à cinema iraniano, de Hélio Leites (artista curitibano) ao americano Jeff Koons”, resume.

LÚDICO E FEMININO
Workaholic assumida, a designer costuma varar as noites diante do computador, sempre em companhia de muitas xícaras de café, e sofre um bocado durante o processo criativo. “É um misto de prazer a aflição”, diz. Seu último desafio foi criar um projeto para as classes C e D para o prêmio Abimovel de Design. Renata decidiu projetar um quarto para garotas entre 11 e 16 anos. “Visitei lojas de móveis populares, conversei com dezenas de meninas e suas mães, pesquisei na internet e falei até com psicólogas para criar algo realmente funcional e adequado ao gosto delas”, conta. Para isso, explorou desde a paixão das adolescentes por seus celulares até a mania das câmeras digitais.

página 88 – poltrona Flô

O resultado foi o primeiro lugar, com uma linha – guarda-roupa, cama e penteadeira – batibada de Elastik, que, por enquanto, é apenas um protótipo.  O quarto estará exposto na próxima edição da Feira Abimovel, em São Paulo, entre os dias 17 e 21 de agosto, e deve ser exibido na sequência em mostras fora do país.

Apesar de ainda ter suas criações restritas a poucas lojas, como a Coisas da Doris e a Desmobilia, em São Paulo, a Vallvé, de Belo Horizonte, e a Faro, em Porto Alegre, entre outras, Renata, que é fã de Houssein Jarouche, empresário e dono da loja MiCasa, conta que adora ter seus móveis a venda na loja paulistana. “Ainda não fechamos nada, mas já estamos conversando.” Também estão adiantadas as negociações entre ela e a rede de lojas TokStok. Além de divertidas, as criações de Renata são quase todas multifuncionais. O banco Goma, por exemplo, pode também ser usado como uma mesinha ou como luminária. A mesinha lateral Ampoule Risca de Giz passa perfeitamente como um banco e o banco Toco serve como revisteiro e mesinha.

“Acho que a funcionalidade é fundamental, assim como a qualidade. Acredito que estas características ajudam a evitar o consumo excessivo”, diz Renata, que não abre mão de basear suas criações em um conceito bem fundamentado. “Acho que todo projeto precisa ter um porquê para que cada detalhe, desde a escolha do material até das cores”, diz. Assim como sua personagem favorita, a francesinha Amélie Poulain, Renata pretende com seu trabalho trazer mais conforto, alegria e afetividade para dentro das nossas casas. E está conseguindo.

Produção: Juliana Processo, estilo: Carlos Peti e Fabiana Trematerra, make: Omar Bergea. Agradecimentos: Guria tel (11) 5531-8435, Melissa tel 0800-979 8898, Pitanga Wear tel (11) 3334-1257, Museu MON tel (41) 3350-4441.

Data da publicação: Agosto de 2009

Edição nº 89